Nós sabemos: esta é uma daquelas perguntas que dá sempre espaço a alguma confusão. Mas a verdade é que não há razão para ela existir. Estamos a falar de áreas distintas, que se complementam.

A Medicina e a Fisioterapia são, por isso, imprescindíveis — cada uma no seu contexto de atuação. Ambas exigem formações e especializações muito distintas, que deve conhecer.

Mas, sem mais demoras, queremos dizer-lhe que a resposta é não. Os fisioterapeutas não são médicos, e os médicos não são fisioterapeutas. Conheça, por isso, as principais diferenças.

Fisioterapia vs. Medicina: as principais diferenças


Fisioterapeutas e médicos. Duas profissões distintas. Até aqui, já percebeu que, apesar de opostas, ambas se complementam. Ambas se dedicam a um objetivo comum: a Saúde.

E é claro que podemos falar de diferentes fases, como a prevenção ou o tratamento de doenças. Mas, independentemente disso, é simples perceber o importante papel que a Fisioterapia e a Medicina desempenham.

No entanto, enquanto um médico tem um conhecimento mais amplo e pode, por exemplo, diagnosticar doenças, um fisioterapeuta não.

Os médicos recolhem informação e estudam para poderem analisar exames, reconhecer todo o tipo de sintomas e, com base nessa análise, propor tratamentos específicos — para casos específicos.

Os médicos podem, também, prescrever medicamentos, isto é, "passar" uma receita a um paciente — algo que, os fisioterapeutas, também não podem fazer.

A Fisioterapia está, por isso, diretamente ligada a questões de mobilidade (física, invariavelmente). Trata, então, de pacientes que tenham lesões ou sintam dores muito próprias.

Enquanto um médico pode prescrever, aos seus pacientes, sessões de fisioterapia, o contrário raramente acontece.

Os médicos podem, ainda, especializar-se em áreas específicas — como a Pediatria, Pneumologia, Cardiologia, Neurologia, entre outras.

O contrário não acontece. Em vez disso, os fisioterapeutas podem apostar em formação avançada, que melhore a mobilidade dos seus pacientes.

Na Fisioterapia, o foco está em melhorar e reabilitar zonas musculares, amplitude de movimentos, entre outros problemas.

Aliás, os fisioterapeutas são muito procurados em diversos contextos. Um dos mais conhecidos é, sem dúvida, o que está na origem das lesões no desporto.

O que fazem os fisioterapeutas?


Ainda que os fisioterapeutas não sejam médicos, a verdade é que eles atuam na maior parte dos campos da Medicina. No entanto, esta é, sem dúvida, uma área muito mais prática.

A Fisioterapia está alinhada por um objetivo comum: a melhoria da qualidade de vida de cada paciente. Para isso, recorre a diferentes técnicas e ferramentas.

Cada caso é um caso e, portanto, todos os exercícios supervisionados por fisioterapeutas são previamente pensados — e têm uma justificação lógica que os sustenta.

Estes profissionais estudam a anatomia do Ser Humano e partem dessa premissa para tentar melhorar todo e qualquer problema.

Para isso, utilizam materiais como as máquinas de exercício físico, bolas de pilates, halteres, barras, entre outros instrumentos.

Em alguns casos, são necessários tratamentos elétricos, pelo que é fulcral que, os fisioterapeutas, dominem por completo a anatomia humana.

Qual é a área mais importante?


Quando se confronta a Medicina e a Fisioterapia, é muito comum ouvir esta pergunta. A verdade é que ambas as áreas têm uma importância extrema na sociedade.

Complementam-se de uma forma quase perfeita e atuam em diferentes fases da patologia de uma pessoa. Por esse motivo, é impossível dizer que uma é mais importante que a outra.

Uma pessoa pode nunca ter visto um médico e ter graves problemas de mobilidade, que justificam rapidamente a visita a um fisioterapeuta.

O inverso também acontece. Uma pessoa pode visitar regularmente um médico e nunca precisar de fisioterapia para nada. 

Mas, quando são necessárias, ambas completam-se de forma quase perfeita. Aliás, são muitas as vezes em que, a Fisioterapia, atua depois da Medicina para resolver problemas iminentes e crónicos.

Ainda que os fisioterapeutas não sejam médicos, ambos estão ligados à prevenção e cuidado da saúde de cada paciente. Por esse motivo (e tantos outros), a Fisioterapia e a Medicina são duas das áreas de saúde mais importantes na sociedade.