Apesar de muito associada a lesões, problemas musculares ou de movimentação, a Fisioterapia é igualmente necessária noutras situações. A saúde da mulher é uma delas, ainda que sejam muitas as pessoas que não têm conhecimento da ajuda que esta área pode trazer.

É por esse motivo que reunimos algumas situações onde, a Fisioterapia na saúde da mulher, é absolutamente essencial — e não, não falamos apenas da gravidez ou do pós-parto.

Mulher a fazer exercícios de fisioterapia numa bola de pilates


Fisioterapia na saúde da mulher: 5 situações em que é essencial

A musculatura da mulher é, obrigatoriamente, diferente da do homem. É natural, por isso, que as mulheres precisem de outro tipo de ajuda e atenção em determinadas situações. E é nesse contexto que a Fisioterapia pode ajudar (e muito).

1. Incontinência urinária


O pavimento pélvico da mulher é uma das zonas musculares que mais difere da do homem. Em momentos como a gravidez (e pós-parto), a menopausa ou a terceira idade, esse pavimento sofre grandes alterações. Por isso, é essencial que todos os músculos envolvidos sejam devidamente fortalecidos.

Quando, nestas situações, a Fisioterapia não é procurada, o pavimento pélvico pode ficar gravemente danificado. E são esses os casos que conduzem à incontinência urinária — que atinge mulheres de todas as idades.

Para evitar chegar a essa situação, é importante que se informe e peça ajuda atempadamente. A verdade é que a Fisioterapia pode ajudar (e muito) no tratamento da incontinência urinária. Os exercícios aconselhados por profissionais vão melhorar (ou restaurar) a função do pavimento pélvico e, assim, controlar melhor a bexiga.

2. Gravidez


É na gravidez que a Fisioterapia na saúde da mulher é mais procurada. Com os tratamentos certos, esta área minimiza os desconfortos e dores resultantes da alteração do corpo feminino. A Fisioterapia pode ajudar em diferentes contextos, como, por exemplo:

  • Diminuição da ansiedade;
  • Prevenção/tratamento de edemas nos membros inferiores;
  • Diminuição da dificuldade de mobilidade;
  • Prevenção/tratamento de queixas álgicas;
  • Diminuição da dificuldade em dormir.

3. Pós-parto


Quem fala de gravidez, fala, obrigatoriamente, do pós-parto — que pode ser muito desafiante. Além da questão hormonal, existe uma exigência enorme sobre o corpo da mulher.

Por isso, é tão importante que exista um fisioterapeuta por perto nessas alturas. O desafio é grande, mas há algumas situações que podem ser minimizadas (ou melhoradas). 

A Fisioterapia no pós-parto pode começar a partir das 6 semanas (em partos vaginais) ou das 8 semanas (em cesarianas).

Mulher grávida a fazer exercícios de fisioterapia


4. Ginástica abdominal hipopressiva


Quando falamos em Fisioterapia na saúde da mulher, temos de falar da ginástica abdominal hipopressiva. Porquê? Porque esta área pode ser muito útil em diferentes momentos:

  • Melhoria da postura;
  • Diminuição da dor lombar;
  • Prevenção/tratamento da incontinência urinária;
  • Facilitação da função intestinal;
  • Melhoria da atividade sexual.


5. Cancro da mama


O cancro da mama é o mais comum em todo o mundo. Por isso, é fundamental que, além da deteção precoce, exista um acompanhamento próximo de cada pessoa após um tratamento mais ou menos agressivo.

É nessas situações que a Fisioterapia é tão útil — não só na saúde da mulher, como também do homem. O desconforto que cada pessoa sente é diferente e depende de cada caso.

Mas, no geral, é impossível negar a sensação de desconforto e, até, a dor que a maior parte das pessoas sente. E é através de exercícios específicos que a Fisioterapia pode ajudar.

Em casos mais ou menos graves, a Fisioterapia na saúde da mulher é crucial. Este acompanhamento, além de especializado, é sempre personalizado e carece de avaliações específicas.

Após acontecerem, essas avaliações permitem um acompanhamento altamente dedicado à pessoa em questão. A verdade é que, quando falamos na saúde da mulher, são várias as situações que precisam do acompanhamento certo.