Não é novidade nenhuma: a Fisioterapia é essencial para o normal funcionamento do corpo humano. Também não é novidade que ela ajuda a prevenir e a tratar problemas de mobilidade.

Como poderosa aliada da saúde, esta é uma área que se desdobra em várias especialidades — como a fisioterapia pélvica (especialidade muito específica e essencial em diferentes contextos).

É na zona pélvica que este tipo de fisioterapia se concentra. Por isso, é importante que perceba o que é, afinal, a fisioterapia pélvica, para que serve e quando é indicada.

Mulher a fazer exercícios de fisioterapia pélvica


O que é a Fisioterapia Pélvica?


Esta especialidade da Fisioterapia é, antes de tudo, muito importante para o normal funcionamento do corpo humano — não só numa perspetiva externa, como também interna.

A importância do pavimento pélvico


Para perceber o que é a fisioterapia pélvica, é essencial que perceba o conceito de pavimento pélvico. Esta zona, ainda que localizada no mesmo sítio, difere de mulheres para homens.

Este pavimento, composto por diferentes (e vários) músculos, atua como suporte de alguns dos seus órgãos. Sem ele, não existe uma estrutura que os sustente — daí a sua importância.

O pavimento pélvico feminino é constituído pela bexiga, intestino e útero. O masculino, por sua vez, engloba apenas a bexiga e o intestino.

Graças à elasticidade dos músculos que constroem o pavimento pélvico, este consegue esticar e contrair consoante a sua movimentação ao longo do dia.

Ora, é quando esses músculos estão demasiado esticados ou contraídos que a fisioterapia pélvica entra em ação.

Para que serve a Fisioterapia Pélvica?


Como já percebeu, a fisioterapia pélvica atua numa perspetiva interna. Quando o pavimento pélvico não é capaz de, por si só, cumprir as suas funções mais básicas (de contração e relaxamento), é necessária a intervenção de profissionais.

Falamos, por isso, de uma das especialidades mais complexas da Fisioterapia, já que trata uma área que não é imediatamente visível, e que requer o apoio de equipamentos específicos.

Não basta, por isso, fazer um tratamento exclusivamente baseado em exercícios que relaxam ou reforçam a força do pavimento pélvico. É necessário, de igual forma, um conhecimento muito mais abrangente.

A fisioterapia pélvica só pode, por isso, ser feita por profissionais com um vasto conhecimento, nomeadamente no que diz respeito a disfunções pélvicas.

Esta especialidade é necessária, por isso, quando existem problemas ao nível muscular (do pavimento pélvico). Podem ser situações graves, desequilíbrios musculares (onde os músculos são mais fortes de um lado e mais fracos do outro) ou até a presença de dor (sentida quando a zona é pressionada ou apalpada).

Exercícios de fisioterapia pélvica feitos a uma criança


Quando é que a Fisioterapia Pélvica é indicada?


São várias as situações em que fisioterapia pélvica é necessária. Na verdade, é muito comum pensar que, nesses casos, a ajuda de profissionais especializados não é precisa.

No entanto, esta área da Fisioterapia é essencial em vários contextos, nomeadamente no auxílio das funções fisiológicas mais básicas (como urinar) — bem como na atividade sexual. Mas há mais:

  • Gravidez (com parto vaginal ou cesariana);
  • Levantamento de pesos;
  • Exercícios de alta intensidade e impacto;
  • Obesidade;
  • Tosse crónica;
  • Infeções;
  • Cirurgias abdominopélvicas (como a vasectomia ou a histerectomia).

De facto, são várias as situações em que a fisioterapia pélvica é necessária. Tal como a fisioterapia respiratória, esta é uma especialidade que atua ao nível interno de qualquer ser humano.

A verdade é que existe uma consciencialização cada vez maior sobre a necessidade desta especialidade, sobretudo nos últimos tempos.

São vários os contextos em que o pavimento pélvico pode ser afetado. E, sem dúvida que, os momentos do pré e pós-parto são dos mais procurados quando se fala em fisioterapia pélvica.

Por isso, preste atenção a todos os sinais. Não desvalorize o menor dos desconfortos, já que ele pode indicar problemas mais graves — que podem ser evitados a tempo.