Precisa de ajuda especializada, mas não sabe se deve recorrer a um fisioterapeuta ou ortopedista? Não se preocupe, porque essa é uma dúvida muito comum. 

A Fisioterapia e a Ortopedia são áreas distintas, mas que facilmente se confundem, tendo em conta a sua área de atuação.

Uma vez que se preocupam com o normal funcionamento de todas as suas capacidades motoras, é natural que não saiba exatamente a quem deve pedir ajuda.

Por isso, reunimos as principais diferenças entre estas duas áreas. Assim, já vai saber como escolher entre Fisioterapia e Ortopedia.

Mulher a fazer tratamento de fisioterapia ao braço


Fisioterapia vs. Ortopedia: as principais diferenças


Antes de tudo, é muito importante que perceba que, os fisioterapeutas, não são médicos. O mesmo não acontece com os ortopedistas — que o são.

Depois de compreender a maior diferença entre estas áreas, perceba agora o que mais as distingue.

As principais funções dos fisioterapeutas


Os fisioterapeutas preocupam-se (muito) com a manutenção do bom estado de saúde de cada paciente. Como não são médicos, não podem, por exemplo, prescrever medicamentos.

Concentram-se, por isso, em melhorar a mobilidade dos pacientes através de técnicas e exercícios específicos (que derivam de diferentes especialidades). E fazem tudo isto para melhorar a condição física e motora de cada paciente.

Os fisioterapeutas são muito procurados quando os pacientes entram na fase de recuperação (após uma cirurgia, por exemplo, como a mastectomia). No entanto, estes profissionais também ajudam pacientes que não foram submetidos a intervenções cirúrgicas. 

De uma forma geral, deve procurar um fisioterapeuta quando:

  • Sente dor ou desconforto e precisa, por isso, de melhorar a sua postura;
  • Precisa de melhorar, ou potenciar, o desempenho desportivo (ou de competição);
  • Quer reduzir a dor e desconforto causados por uma lesão;
  • Precisa de reabilitação antes ou depois de uma cirurgia;
  • Precisa de melhorar determinado movimento, que não acontece como seria expectável.


Tratamento de fisioterapia feito ao joelho com fitas de kinésio


As principais funções dos ortopedistas


Para saber como escolher entre a Fisioterapia e a Ortopedia, é importante que perceba, também, o que fazem os ortopedistas.

Por esta altura, já terá compreendido que os ortopedistas são médicos, ao contrário dos fisioterapeutas. Podem, por isso, prescrever medicamentos e até cirurgias.

Os médicos ortopedistas são, por isso, especialistas em diagnosticar e tratar problemas musculoesqueléticos. Estas alterações são mais frequentes em zonas como a coluna, joelhos, pés e mãos.

Por isso, quando o problema se encontra na zona dos músculos, ossos, ligamentos ou articulações, é aconselhado que procure, em primeiro lugar, um ortopedista. Deve fazê-lo, também, se sentir algum destes sinais:

  • Sensação se calor ou formigueiro em alguma parte do corpo;
  • Desconforto, inchaço ou dor nas articulações;
  • Dor ou rigidez muscular;
  • Entorses antigas ou recentes;
  • Dores nas costas;
  • Alteração visível no formato dos ossos;
  • Lesões causadas por esforço físico (como o exercício em excesso).

Ora, apesar de distintas, ambas as áreas são extremamente importantes na saúde de cada pessoa. Dependendo de cada caso, podem ser precisas individualmente ou, então, em conjunto.

Na verdade, são muitas as situações que, após o aconselhamento de um ortopedista, são encaminhadas para fisioterapeutas especializados naquele problema específico.

Como outra qualquer área de saúde, tanto a Fisioterapia como a Ortopedia são necessárias  e complementam-se em determinados contextos.

Há pessoas que, depois de operadas a alguma lesão musculoesquelética, precisam de algumas sessões de fisioterapia para recuperarem totalmente.

Por isso, é certo que é difícil saber como escolher entre a Fisioterapia e a Ortopedia, mas é igualmente certo que ambas atuam em diferentes fases do processo clínico de cada paciente.

É importante, por isso, que primeiro procure aconselhamento médico antes de tomar uma decisão entre estas especialidades.

Se prestar atenção a todos os sinais, é provável que detete algum problema numa fase ainda precoce. Nesse caso, pode acontecer que não precise de intervenção cirúrgica, mas apenas de tratamentos de fisioterapia.